Arquivo do autor:Alexandre Carvalho

Sobre Alexandre Carvalho

Quase um carioca, 35 anos. Biólogo, crítico e jornalista amador, é editor do Cotidiano Nacional e escreve às sextas-feiras (ou em qualquer dia que o editor mandar) para o Vivendocidade.

Os desafios de Fernando Haddad

Entra prefeito e sai prefeito e a maioria dos problemas centrais da maior e mais rica cidade do país seguem no mesmo patamar ou até em situação pior: saúde precária, trânsito caótico, transporte público ineficiente, deficit de moradia, violência desenfreada, sistema penitenciário ineficaz, ausência de políticas públicas de toda natureza além da famosa falta de vontade política de resolvê-los. Esse será o nosso ponto.

Eis então que um jornal de grande circulação e seus parceiros resolvem promover ideias que, se fossem aplicadas, transformaria a cara da nossa cidade. Surge borboletas azuis voando ao redor de jardins e bancos de praça nas margens dos rios Tietê e Pinheiros. Coisa linda, mas muito, mas muito longe mesmo de se realizar. Mas porque não acontece? Falta dinheiro? Não. Dinheiro temos que sobra em qualquer área, é só passar na Rua Boa Vista, no centro da cidade, e acompanhar o impostômetro. Aqueles números não param e são tantos dígitos ao final do ano que eu preciso contar de trás pra frente para saber em casa monetária estamos.

fernando-haddad-elza-fiuza-agencia-br

Para você, (e)leitor, ver borboletas nas margens dos nossos rios e passear com a namorada por um ferry boat ou simplesmente fazer uma caminhada ao nascer do Sol, precisamos apenas que o prefeito que entre não pense apenas em completar seu mandato, conseguir se reeleger e colocar uma placa de bronze em uma praça, uma estátua ou uma passarela. Precisamos de praça? Sim. Essa é nossa necessidade? NÃO!

Continue lendo

Sugestões para uma São Paulo melhor

Um grande jornal de circulação na cidade de São Paulo fez uma parceria e pedia a seus leitores que mandassem sugestões para melhorar a cidade de São Paulo, a maior cidade do Brasil e uma das maiores do mundo. Em sua área metropolitana concentram cerca de 20 milhões de pessoas, o que representa perto de 50% da população de todo o Estado.

Nós, do Cotidiano Nacional, em parceria com o Vivendocidade, temos uma sugestão para melhorar São Paulo. Você tem que sair dessa cidade, sendo nativo daqui ou vindo de outra cidade ou estado, como é o meu caso.

ensaio-sobre-cegueira-José-Saramago-Fernando-Meirelles

Quando São Paulo está de férias, ela fica um pouco mais sossegada, mas mesmo assim encontramos trânsito e filas. Quando São Paulo está plenamente ativa, e isso ocorre, ainda bem, apenas depois do carnaval, a coisa fica bem pior. É quase impossível sair nas ruas, ir aos shopping, aos centros de compras, a um simples mercado, ou a banco, lotéricas, cinemas, etc. Pessoas não foram feitas para conviver em formigueiros.

 

“O que acontece a estes profissionais jovens e ambiciosos quando envelhecem?”

 

Há alguns anos eu percebi que muitas das pessoas que vivem em São Paulo são como escravos, a única diferença é que recebem salários. Não podem fazer o que quiserem, não podem morar onde quiserem, e, mesmo que morra de vontade, não pode simplesmente ir embora de São Paulo ou largar seus empregos. Algumas pessoas que vivem aqui não tem escolha. Por isso, a escravidão do século 21.

Eu mesmo posso ser incluído nesse grupo: tenho um emprego que não posso largar; vivo me imaginando morando em outro lugar, bem menor e menos visado que São Paulo. Um lugar onde talvez eu possa ter uma tal de qualidade de vida.

E para você que pensa em vir pra cá, mude de ideia o mais rápido possível. O país é muito mais que São Paulo. Olhe para um trem, e me diga onde se viaja mais confortável: nos vagões ou na locomotiva? E para todos aqueles que estão aqui, o melhor a fazer é buscar uma ocupação em outro lugar.

Vamos todos abandonar São Paulo para que a cidade possa ter uma vida melhor. Uma vida melhor para ela e uma vida melhor para nós.

Essa é a minha ideia para melhorar São Paulo. Temos que esvaziar a cidade. E com isso, estou de volta ao Vivendocidade, com aquela periodicidade que só você, leitor, conhece.

Olho no Vice! Ele poderá ser o seu prefeito

O vice candidato a qualquer cargo público sempre foi – e enquanto formos ignorantes politicamente – continuará a ser ignorado.

Tanto é verdade que são divulgadas as agendas dos candidatos, mas ninguém sabe o que o vice está fazendo. Até para achar o vice no site do T.R.E. é complicado. Mas você pode conferir clicado em http://divulgacand2012.tse.jus.br/divulgacand2012/abrirTelaPesquisaCandidatosPorUF.action?siglaUFSelecionada=SP

Não sei porque isso acontece, tendo em vista que desde 1985 temos experimentado essa situação. José Sarney e Itamar Franco estão ai (bom, este último não mais) e não me deixam mentir. Mas, em se tratando de São Paulo, o caso é mais grave.

 

vasco-da-gama-550x685px

Imagem do navegador português Vasco da Gama meramente ilustrativa.

 

Termina neste ano a gestão do prefeito Gilberto Kassab, que era o vice prefeito quando José Serra largou a prefeitura para tentar a sua obsessão política. Vale lembrar que Serra é novamente candidato e, portanto, tornou-se obrigatório o conhecimento dos candidatos a vice dos principais candidatos de São Paulo. Sim, só dos principais. Você não quer que eu apresente o vice do Levy Fidelix, não é mesmo?

Após essa pequena introduzida (ui!) no assunto, vamos analisar o perfil dos candidatos à estepe, pela ordem da última pesquisa divulgada na mídia. Por ela, Celso Russomano aparece com 31%, José Serra com 27%, Fernando Haddad (8%), Gabriel Chalita (6%), Soninha Francine (5%) e Paulinho da Força (tá mais pra sem força) com 4%.

 

Continue lendo