Arquivo da tag: cotidiano nacional

Um olhar possível sobre o momento político brasileiro

Depois de muita insistência do editor do Vivendocidade  volto a escrever sobre alguns assuntos que vem tomando conta da mídia nos últimos tempos. Perdoe-me o nobre leitor se por acaso parecer que eu não esteja falando coisa com coisa, porque é realmente por ai.

impotência e derrota
Hoje quero falar sobre o (des)governo da presidente Dilma. Eu nunca, na minha história e nem na história deste país, senti algo parecido. Em outros governos, a sensação de que, por pior que pudesse ser, tínhamos uma pessoa no comando, existia. Até mesmo o Collor foi mais presente no Planalto do que é hoje a presidente Dilma. E parece que isso não tem volta, e pode durar pelo menos mais 4 anos. Continue lendo

Os desafios de Fernando Haddad

Entra prefeito e sai prefeito e a maioria dos problemas centrais da maior e mais rica cidade do país seguem no mesmo patamar ou até em situação pior: saúde precária, trânsito caótico, transporte público ineficiente, deficit de moradia, violência desenfreada, sistema penitenciário ineficaz, ausência de políticas públicas de toda natureza além da famosa falta de vontade política de resolvê-los. Esse será o nosso ponto.

Eis então que um jornal de grande circulação e seus parceiros resolvem promover ideias que, se fossem aplicadas, transformaria a cara da nossa cidade. Surge borboletas azuis voando ao redor de jardins e bancos de praça nas margens dos rios Tietê e Pinheiros. Coisa linda, mas muito, mas muito longe mesmo de se realizar. Mas porque não acontece? Falta dinheiro? Não. Dinheiro temos que sobra em qualquer área, é só passar na Rua Boa Vista, no centro da cidade, e acompanhar o impostômetro. Aqueles números não param e são tantos dígitos ao final do ano que eu preciso contar de trás pra frente para saber em casa monetária estamos.

fernando-haddad-elza-fiuza-agencia-br

Para você, (e)leitor, ver borboletas nas margens dos nossos rios e passear com a namorada por um ferry boat ou simplesmente fazer uma caminhada ao nascer do Sol, precisamos apenas que o prefeito que entre não pense apenas em completar seu mandato, conseguir se reeleger e colocar uma placa de bronze em uma praça, uma estátua ou uma passarela. Precisamos de praça? Sim. Essa é nossa necessidade? NÃO!

Continue lendo

Parar na faixa de pedestre virou lei. Precisava?

Nobre leitor do Vivendocidade. Depois de um longo e tenebroso inverno que congelou meu desejo e minha paixão por escrever, volto, mas sem periodicidade certa para tratar da mais nova lei na cidade de São Paulo.

Agora em São Paulo é obrigatório que os carros parem na faixa de pedestre para que estes possam atravessar, mas somente onde não haja semáforo.

 

abbey_road

 

Recentemente publiquei em meu facebook uma foto tirada em um banheiro onde recados impressos em folha A4 solicitava que a tampa fosse levantada e que a descarga fosse dada após o uso. Cá entre nós, precisa disso? Isso não deveria ser o mais básico das normas de higiene, boa convivência, etc, etc?

O mesmo se aplica para uma lei que obrigue você a parar na faixa de pedestre. Isso deveria ser o mais básico do básico. Mas não, afinal nós somos brasileiros e talvez se ainda estivéssemos sob a batuta do presidente Lula, ele diria que isso é um problema cultural.

No primeiro dia de fiscalização da nova lei, foram registrados na cidade 14 atropelamentos. Nada mal.

Aqui na Cidade Universitária essa prática já é um pouco comum, e muitas vezes até já motivaram colisões traseiras promovidas por apressadinhos sem causa. Óbvio que ainda há muito o que se melhorar nessa questão, mas acho que a lei poderá contribuir para a melhora. Que fique bem claro que: quando eu disse que não precisava de uma lei para esse tipo de coisa é porque eu esperava que a espécie humana fosse capaz de perceber necessidades comuns. Mas até isso penso que é pedir demais.

Temos um sério contraste de valores em nossa vida. Isso tanto é verdade que quando motoristas param na faixa, os pedestre ficam espantados com a atitude.

Não quero deixar esse post meio que entreaberto, mas quero deixar uma pergunta ao leitor. Que outras leis serão necessárias para que tenhamos um povo mais civilizado? Participe, deixe sua sugestão nos comentários. Analisaremos e escreveremos sobre o assunto.