Arquivo da tag: ynab

Você precisa de um orçamento

Geralmente quando o sapato aperta, é quando nos lembramos que deveríamos ter comprado um modelo novo um pouco maior, evitando assim passar o dia todo sofrendo dos pés. Eu não sou diferente de todos vocês, e recebi de todos os lados, educação social, moral, acadêmica e até mesmo um tanto de educação sexual (ah, as aulas de biologia da sexta série…).Monopoly

O que eu não tive, e tenho a certeza de que a maioria das pessoas sequer se lembra, foi de ter tido uma educação financeira, daquelas que me tirariam hoje da obrigação de viver de salário em salário (lembrem-se desta frase, ela será importante mais pra frente).

Para aprender a usar o dinheiro, já fiz de tudo, desde calcular troco com o dinheiro do Banco Imobiliário, saber quem é meu Pai Rico, Pai Pobre, e mais recentemente, planilhas e programas que prometem as maiores maravilhas que somos capazes de imaginar.

O que essas ferramentas não ensinam, é que de um pulo, nossas finanças domésticas deixam de ser simples para serem um verdadeiro martírio, com casos onde a pessoa tem dois ou mais cartões de crédito, empréstimo consignado, vale-refeição, seguro desemprego…

E vamos falar a verdade, planejar onde e como vamos gastar nosso dinheiro, na maioria das vezes, é chato. Só não é mais do que ficar anotando todos os dias, as moedas que gastamos para pagar o jornal, a coxinha. Tudo bem, é menos chato que ficar tirando foto de comida no Instagram.

Mas porque que você precisa de um orçamento? A resposta é simples, e uso aqui aquilo que meus avós repetem há mais de cem anos:

“Se você não plantar direito, se não cuidar da árvore, não vai ter a fruta”.

E qual seria a fruta nos dias de hoje? Sair da dívida? Quitar sua casa? Fazer uma previdência privada? Arrumar dinheiro para viajar pelo mundo? Comprar uma TV?

Então, a primeira coisa que temos que fazer, segundo as regras de ouro criadas por Jesse Mecham, idealizador da Metodologia por trás do YNAB, é :

Dê um trabalho para seu dinheiro

Imagine que você é o chefe da sua empresa, e um funcionário não trabalha conforme deveria. Depois de algum tempo, você vai até ele e por bem ou por mal, corrige este comportamento. Ou mesmo quando vai dividir as tarefas da semana, e todos recebem algo para fazer, sem deixar ninguém de fora sem fazer nada.

Com o seu dinheiro é a mesma coisa. Se você tem a necessidade de pagar a conta do telefone, ir a um bom restaurante, e ter um vídeo game neste mês, divida seu dinheiro de forma que todas esses “funcionários” tenham algo para fazer, neste caso, limitar quanto vou gastar em cada categoria.

Guarde um pouco para alguma tempestade

A melhor coisa que um método de gerenciamento financeiro pode fazer, é não te ajudar a lidar com aquele problema que aconteceu de forma inesperada. Coisas como manutenção do carro, problemas de saúde, velório (eita!), impostos… Simplesmente acontecem, e você não pode prever e daí o que você faz com seu orçamento? Ele simplesmente naufraga.

Essa regra nos ensina que se você sabe que o Natal acontece todos os anos na mesma data, e que precisa comprar presentes para todos seus amigos e familiares, porque não começar agora, seis meses antes, a guardar um pouco de dinheiro todo o mês?

Natal é um exemplo, mas a mesma ideia vale para sua viagem para Disney, o seguro do seu carro, seu casamento, aquele jantar em que vai finalmente pedir sua namorada em casamento…

Se adapte

Segundo esta metodologia, quem disse que você precisa acertar sua previsão de gastos? Claro que errá-la completamente também está fora de questão, mas no dia a dia, se você reservou um dinheiro para almoço e conseguiu comer na casa da sua sogra que cozinha bem, use esta reserva para outro gasto que talvez você esteja no limite. Com a prática isso vai ser natural.

Viva com o salário do mês anterior

Essa regra está mais para uma meta, um objetivo que temos que alcançar fazendo nosso planejamento dia a dia, de forma a termos uma saúde financeira tal, que não precisaremos nos preocupar em simplesmente pagar as contas, se estamos vivendo de salário em salário (não falei que isso era importante?) ou não.

Imagine que de uma hora para outra, ficamos sem trabalhar? Ou se o cheque especial este mês foi maior do que o esperado, e você teve que usar aquele dinheiro que tinha guardado para o material das crianças?

Com a organização proposta pelas regras 1 a 3, e sabendo que a regra 4 é seu norte, nenhuma dessas coisas vai te abalar, e nossa saúde agradece.

Onde eu aprendi tudo isso? Com o próprio Jesse Mecham, da You Need a Budget.

E não, isso não é um post patrocinado. Os caras mandam bem.